Searching...
segunda-feira, 24 de março de 2014

Confúcio e a sua filosofia

O filósofo chinês Confúcio é conhecido em todo o mundo, sinônimo de sabedoria e equilíbrio. Os seus ensinamentos deram origem ao Confucionismo. Viveu entre os anos 551 AC e 479 AC. A sua filosofia foi a grande influência do Império Chinês, principalmente nas dinastias Han, Tang e Song.
O nome Confúcio em chinês significa, literalmente, Professor Kong. A base da doutrina é recuperar os antigos sábios da cultura chinesa, para influenciar os costumes do povo. A essência dos seus ensinamentos e da sua filosofia resume-se na boa conduta, no bom governo do Estado (caridade, justiça e respeito à hierarquia), o estudo e a meditação.
O Templo, a casa, o jardim e o cemitério deste ícone da cultura chinesa encontram-se em Qufu, a sua terra natal, situado no sul da província de Shandong. É também um dos Patrimônios Culturais da Humanidade listados pela UNESCO.
As suas máximas virtudes são a tolerância, a bondade, a benevolência, o amor ao próximo, o respeito aos mais velhos e aos antepassados. “Se o príncipe é virtuoso, os súditos imitarão o seu exemplo” – relação governante/súdito; pai/filho. Uma sociedade próspera só conseguir-se-á se estas relações se mantiverem em plena harmonia.

No que diz respeito a governação, a doutrina resume-se numa série de regras que deveriam ser os principais deveres de qualquer governante:
- Amar o seu povo e procurar dar as condições necessárias para uma vida digna.
- Cultivar a virtude pessoal e tentar, sem parar, a perfeição.
- Na vida privada como na pública, observar sempre o exemplo superior.
- Ter em conta os dois tipos de inclinações próprias do homem: as que procedem da carne e são perigosas e as outras que vem da razão e são muito sutis e fáceis de perder.
- Praticar os deveres das cinco relações sociais.
- Ter por objetivo final, a paz universal e a harmonia.

É verdade que depois existe uma grande diferença entre a teoria e a prática. Agora, há uma coisa que me surpreende sempre quando leio estas ideias de filósofos de há tantos séculos atrás. É como são atuais… poderíamos dizer que foram ontem, por qualquer um de nós mais atento aos acontecimentos do mundo. A conclusão que chego é que, a evolução do ser humano é que é o grande problema. Sempre tivemos, na história da humanidade, grandes pensadores, pessoas do bem, evoluídas espiritual e moralmente falando. Mas ainda temos muito a evoluir. Basta olhar à quantos séculos se prega o bem e a boa conduta entre a humanidade.
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Enviar um comentário

 
Back to top!