Searching...
segunda-feira, 2 de abril de 2012

Hanami – O Despertar da Inocência


Hanami é um costume tradicional japonês. Este consiste na contemplação da beleza das flores, sendo estas na sua maioria as flores de cerejeira (sakura) ou a ameixoeira japonesa (umé). Esta tradição tem a sua marca no início de Abril, sendo, por isso, umas das épocas mais importantes para os japoneses, pois marca o fim e, consequentemente, o início de um período. Durante esta época, os japoneses têm por hábito organizar uma série de festas ao ar livre ao lado ou debaixo da sakura ou umé, podendo estas prolongar-se pelo resto da noite.

Sua origem, remete-nos para dois períodos da história – Nara e Heian (710-794; 794 - 1185), sendo que o primeiro corresponde à contemplação da ameixoeira e o segundo ao da sakura que acabou por ser a principal atracção dos mais requintados olhares. Desde então que esta flor passou a ser estritamente associado a hanami, adquirindo um novo conceito.
Inicialmente utilizado para comemorar o fim da colheita e anunciar a estação da plantação de arroz, as pessoas viam nesta celebração uma forma de homenagear os espíritos (kumi), que eles acreditavam encontrarem-se no interior das plantas.
Crente desta prática, o imperador Saga, do período Heian, acabou por adoptar este costume, planejando inúmeras festas de contemplação de flores, onde o saké, banquetes e a arte de saber dizer não eram indispensáveis ao ambiente festivo. Pensa-se ter sido esta a marca do início de hanami. Originalmente, festejado pelas cortes imperiais, rapidamente passou aos samurais e, posteriormente, ao povo, em geral.


Actualmente, a tradição tem-se mantido, reunindo, ano após ano, inúmeras pessoas, que vêem nesta celebração o refúgio perfeito para a contemplação e renovação dos seus espíritos.

“E se alguém lhe perguntar sobre o coração de um verdadeiro japonês, aponte para a cerejeira selvagem brilhando ao sol.”
                                 Norinaga Motoori

Artigo escrito pela colaboradora Vanessa Cardoso.  Quem tiver interesse em colaborar connosco saiba mais aqui.
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Enviar um comentário

 
Back to top!