Searching...
sábado, 28 de janeiro de 2012

Para onde caminha China?

A sociedade chinesa tem evoluído progressivamente desde uma sociedade primitiva, feudal, semi-feudal, semi-colonial, até à actual sociedade socialista.
A longa e misteriosa história imperial, cheio de controvérsias e peripécias, é a prova de um povo com ambição e capacidades.

A “Rota da Seda” permitiu o primeiro contacto com o mundo exterior, dando lugar ao comércio de produtos chineses e também a partilha das grandes invenções chinesas que influenciaram o quotidiano das civilizações antigas e presentes.

Em 1949, a implementação da República Popular da China fechou um dos períodos, considerada pela comunidade chinesa, mais sangrentos na história da China, marcada pela queda do regime imperial, senhores da guerra, a guerra civil e as invasões japonesas. No entanto, este acontecimento foi de longe o fim do massacre. Rapidamente, China mergulhou num outro período de opressão e censura instaurada por Mao Tse-tung.

Com a morte do “Grande Timoneiro” em 1976, Deng Xiaoping, o vice primeiro-ministro de então, encaminhou a China para o crescimento económico através da política das quatro modernizações. Assim iniciou esta corrida que já dura há mais de três décadas e que só recentemente abrandou devido à actual crise económica.
Porém, o desenvolvimento não acompanhou este crescimento. À medida que a taxa de crescimento económico aumenta, o fosso da desigualdade social é cada vez maior. Os maiores beneficiários desta abertura ao exterior, continuam a ser os mais ricos e poderosos. E as despesas ficam sempre ao encargo do povo.

O sistema político chinês tem características próprias e isso é um facto inevitável, não só pela grande dimensão populacional, como também pelas características do próprio povo.
O fenómeno da “Aldeia Global” tem contribuído para o incremento das trocas comerciais da China com o resto do mundo, sendo que actualmente China detêm 13% da economia mundial e é a uma das maiores economia globais, e a participação nas várias organizações internacionais tem alertado a China para os impactos ambientais e a importância do desenvolvimento.

China é uma fábrica mundial que funciona 24 horas por dia e não há nada que a faça parar.
Contudo, esta “Longa Marcha” ainda está longe da sua meta final, é indiscutível a influência que China tem no ambiente económico, mas para onde nos levará esta enorme fábrica? E a que custo?

Outros problemas que China enfrenta actualmente:
Crescentes montanhas de lixo assombram Pequim

Artigo para uso exclusivo no Site do Oriente
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Enviar um comentário

 
Back to top!