Searching...
domingo, 13 de Novembro de 2011

O Fosso entre os Ricos e Pobres na China

É impossível ignorar o fosso que separa os mais ricos e os mais pobres na sociedade chinesa.
As medidas implementadas por Deng Xiaoping durante a reforma determinou o desenvolvimento económico e social nas últimas três décadas.

Baseado numa política de abertura ao mercado mundial, as principais medidas consistiam no incentivo ao investimento externo, mão-de-obra barata e produção dedicada à exportação. Sob o regulamento implementado, a economia chinesa registou um crescimento espaventoso.
Contudo, enquanto os centros urbanos evoluía a cada segundo, a miséria nas zonas rurais aumentava de dia para dia. A justiça social tinha sido deixada para trás quando a eficácia se tornou a principal prioridade, o que provocou as grandes desigualdades sociais.

Segundo um relatório divulgado pelo Banco Mundial em 2006, entre 2001 e 2003, os 10% mais pobres da China tiveram uma diminuição de 2,4% no seu rendimento; ao mesmo tempo que os 10% mais ricos do país detiveram um crescimento de 16%.
Rupert Hoogewerf é um inglês que elabora rankings de milionários da China. Elaborou o primeiro ranking em 1999, aos 29 anos. Nesse ranking tinha apenas 50 pessoas e a maior riqueza era de 50 milhões de yuans, ou seja, 6 milhões de dólares americanos. E em 2008 a lista incluía 10 mil pessoas e o mais rico possuía cerca de 100 milhões de dólares americanos (700 milhões de yuans).

O governo chinês atribui ao aumento das desigualdades de renda como a principal causa das desigualdades sociais. Em 2005, enquanto as rendas nas cidades tinham uma taxa de crescimento de 8-9% por ano, a renda das zonas rurais apenas atingiu um crescimento anual de 4-5%.
Este abismo também se estende aos residentes das áreas urbanas, cerca de 15 milhões dos habitantes das grandes cidades vivem num estado de pobreza.

A China tem cerca de 120 a 130 milhões de pessoas que vivem com menos de 1 dólar por dia. Segundo o relatório “Indicadores-chave 2007”, entre 1993 e 2004, o coeficiente Gini (escala 0 a 1), que mede as desigualdades entre os mais ricos e os mais pobres, aumentou de 0,4 para 0,47, sendo que 1 representa a máxima desigualdade. Com 1,3 bilião de habitantes, a China é, depois da Índia, o país com o maior número de pobres.

Face a este problema, uma das soluções tomadas pelo governo chinês está incluído no 11º Plano Quinquenal (2005-2010), que consiste em treinar trabalhadores de zonas rurais que se pretendem mudar para áreas urbanas. Entre 2006 e Março de 2007, o governou chinês gastou cerca de 278 milhões de dólares americanos no treinamento de 8,6 milhões de trabalhadores provenientes de zonas rurais.




Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Enviar um comentário

 
Back to top!