Searching...
quinta-feira, 25 de agosto de 2011

China supera EUA em vendas de PCs pela primeira vez


A China ultrapassou os Estados Unidos no segundo trimestre para se tornar, pela primeira vez, o maior mercado mundial de computadores. A mudança destaca a crescente importância de um segmento onde os grandes fabricantes de PC não estão conseguindo competir contra a gigante local Lenovo Group. Ltd.
A virada também reflete as rápidas transformações enfrentadas pelos fornecedores de computadores no mundo todo. A demanda por PCs disparou nos mercados emergentes, enquanto perdeu força em países desenvolvidos como os EUA. E a maior procura por smartphones e tablets, destacada pelo sucesso da Apple Inc. vendendo seus aparelhos de iPhone e iPad, tem despertado o receio de que as compras de tais produtos possam reduzir a demanda por computadores tradicionais e laptops.
"O centro de gravidade da indústria de PC se afastou do mundo desenvolvido", disse David Wolf, diretor-presidente da Wolf Group Asia, uma firma de estratégia de marketing sediada em Pequim.
As remessas de PC na China totalizaram 18,5 milhões de unidades no segundo trimestre, acima das 17,7 milhões nos EUA, disse na terça-feira o analista Avinash K. Sundaram, da firma de pesquisa IDC. A empresa ainda espera que as vendas de PC para os EUA fiquem um pouco acima do número da China em 2011, já que as vendas no mercado americano normalmente disparam durante as festas de fim de ano. Mas a IDC projeta que as exportações chinesas devam superar as dos EUA em 2012, alcançado 85,1 milhões de unidades, em relação aos 76,6 milhões nos EUA. O crescimento na China tem sido alimentado pela demanda aquecida de consumidores e de empresas, bem como pelos maiores gastos do governo com a compra de computadores.
O amplo mercado chinês e a economia em rápida expansão deram início a uma reestruturação da indústria mundial. A China é o maior importador de minério de ferro e o maior mercado de aço, e a crescente demanda no país tem impulsionado os preços de várias commodities, como o petróleo e o milho.
O aquecimento do mercado de PC da China deve levar fabricantes de PC estrangeiras a continuar aumentando os investimentos no país. Também pode resultar em parcerias com fornecedores locais, tais como a que a Acer Inc., de Taiwan, fechou no ano passado com a Founder Technology Group Corp. A Acer pagou até US$ 70 milhões para a usar a marca da Founder na China por sete anos. A estratégia ajudou a elevar a participação da Acer no mercado de PC chinês em quase seis pontos percentuais, para 9,6% no segundo trimestre deste ano, segundo a IDC.
A principal beneficiária da expansão do segmento de computadores na China tem sido a Lenovo, que se tornou uma das maiores fabricantes de PC, graças à força da empresa no mercado local e aos pesados investimentos para se expandir em outros mercados emergentes como Índia e Rússia.
Em contraste, a HP e a Dell investiram bastante para crescer na China, mas ainda estão bem atrás da Lenovo no país.
A Lenovo e outros fabricantes de PC tentam aumentar as vendas no interior da China, mas também têm aproveitado a forte demanda nas áreas urbanas. Mao Lan, de 32 anos, trabalha numa corretora em Pequim. Ela comprou um laptop da Lenovo em maio. "Alguns amigos recomendaram comprar um Mac da Apple, mas a maioria dos programas é cara...Além disso, hoje em dia, existem versões de atualização bem rápidas para computadores, por isso não é necessário comprar um modelo caro", disse Mao. Ela não quis comprar um computador da HP devido às notícias de falhas dos produtos da empresa no ano passado.
Representantes da HP e da Dell não puderam ser encontrados para comentar este artigo. A Acer e a Apple não quiseram comentar.
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Enviar um comentário

 
Back to top!